Visitas domiciliares são apontadas como o principal fator para melhorias dos indicadores

Conforme relatório da Vigilância em Saúde do município, de janeiro a 13 de setembro de 2023, foram detectados 86 casos da dengue, sem registro de óbito pela doença. Este número representa 5% do registrado no ano de 2022, que foi de 1.687 casos, com 2 óbitos. Para a coordenadora da Vigilância, Eliane Fleck, a redução considerável dos casos se dá por conta das estratégias trabalhadas simultaneamente no município, de prevenção às doenças causadas por vírus transmitidos, principalmente, por mosquitos, como dengue, chikungunya e zika, transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

Algumas ações preventivas importantes são destacadas pela coordenadora, como o monitoramento de pontos estratégicos (catadores/recicladores, borracharias, floriculturas, cemitérios). Atualmente 41 imóveis são monitorados quinzenalmente, com aplicação de inseticida caso haja foco. São feitas ainda as distribuições de telas protetoras de ralos e bombonas expostas a água da chuva, que impedem a deposição de ovos do mosquito e, consequentemente, o desenvolvimento de larvas e pupas; os mutirões de limpeza realizados em áreas específicas (cemitérios, regiões com relato de novos casos ou de aumento da incidência de ovos); monitoramento do Aedes aegypti pelo programa Ovitrampas - instalados em locais estratégicos do município, essas armadilhas atraem a fêmea do mosquito, que nela depositam seus ovos -.  Ao todo, nove ciclos de monitoramento foram realizados no município, sendo retirados da natureza mais de 12.000 ovos do mosquito.

VISITAS DOMICILIARES
O principal fator da redução de casos se deu por conta da eficiência do trabalho realizado de visitas domiciliares permanentes, conduzidas pelos agentes de endemia. As visitas ocorrem durante o ano todo em todos os imóveis do município. Os moradores e proprietários recebem orientações quanto aos cuidados voltados para evitar a proliferação do Aedes aegypti. Caso haja algum foco no momento da inspeção, os espécimes são devidamente coletados para posterior análise em laboratório próprio, e biolarvicida é usado em situações em que não é possível a remoção do depósito. O resultado da análise é informado dentro de poucos dias ao morador, juntamente com instruções que reforçam a importância de monitorar constantemente sua residência, comércio ou terreno. Entre janeiro e setembro de 2023, foram realizadas mais de 21.426 visitas.

Comunidade deve receber as equipes
Os Agentes de Combate às Endemias atuam sempre uniformizados e devidamente identificados com crachá. A proposta é visitar a área externa dos imóveis, identificando pontos onde a água pode ficar parada, situação que facilita a proliferação do mosquito Aedes aegypti. Durante a visita, o objetivo principal é orientar o morador de forma clara para que possa monitorar continuamente seu próprio pátio, adotando cuidados específicos conforme as características do imóvel e dos objetos expostos ao ambiente. “É de extrema importância que os moradores recebam os profissionais que atuam na prevenção e na orientação para evitar danos maiores à população”, esclarece Eliane Fleck. 

Na próxima semana (dias 18 a 22/09), os agentes visitarão os imóveis do bairro Bela Vista.

Data de publicação: 14/09/2023

Créditos: Sandra Costa

Créditos das Fotos: Divulgação/PMEV

Compartilhe!